Relatório Anual 2016

O Instituto FEBRABAN de Educação (INFI) é a concretização dos valores e aspirações educacionais da entidade. Configura-se como um centro de conhecimento que oferece diversos cursos direcionados ao segmento bancário, além de preparatórios para certificações específicas e conteúdo para os demais mercados, nos formatos presencial e a distância, e programas in company, elaborados sob medida para empresas de diversos setores, com o desenvolvimento de soluções customizadas.

O Instituto dispõe de duas frentes de educação: profissional e financeira. A primeira engloba o Instituto Brasileiro de Ciência Bancária (IBCB), que completou 40 anos de atuação em 2016. A segunda contempla o desenvolvimento de conteúdo e aplicativos voltados às finanças pessoais.

Destaca-se ainda a atuação do INFI na certificação de correspondentes e de especialistas em combate à corrupção e à lavagem de dinheiro.

Educação corporativa

Ao longo do ano, foram realizados cursos e treinamentos, ministrados por renomados especialistas do mercado, CEOs e executivos, sobre temas inovadores que atendem às reais necessidades de atualização profissional de colaboradores de bancos e instituições financeiras; bem como programas segmentados, voltados a gestores, líderes e diversos setores técnicos.

Destaca-se ainda a realização de 21 encontros técnicos – os chamados Summits – nos quais foram tratadas questões estratégicas para o setor, como transformação digital, repatriação de recursos do exterior, prevenção à lavagem de dinheiro, fraudes eletrônicas, entre outros. Esses eventos contaram com 1.220 participantes, aumento de 42% em relação ao ano anterior.

Educação financeira

G4-EC7 | G4-EC8

Em 2016, o INFI deu continuidade às iniciativas de apoiar os bancos na aproximação com a sociedade, desenvolvendo conteúdo prático e alinhado às necessidades de diversos públicos.

Para os associados, o INFI promoveu, em parceria com os principais bancos, uma campanha de engajamento dos profissionais de atendimento, abordando a oferta adequada de produtos e o uso consciente do cartão de crédito e do cheque especial, reforçando o papel do gerente como orientador financeiro de seus clientes.

O INFI também desenvolveu novos softwares e ampliou o conteúdo didático voltado à educação financeira e à gestão de finanças pessoais. Confira, a seguir, os destaques de 2016.

Em 2016, o Instituto FEBRABAN de Educação promoveu 271 cursos, um total de 6.782 participantes, com índice geral de satisfação de 93%

Jimbo Mobile e Meu Negócio em Dia

Em 2016, foram lançados o Jimbo Mobile – software de gerenciamento de finanças pessoais disponível para smartphones dos sistemas operacionais Android, iOS e Windows Phone – e o Meu Negócio em Dia, aplicativo disponível no Canal do Empreendedor, desenvolvido em parceria com o Sebrae, para a gestão financeira de microempreendedores.

Meu Bolso em Dia – Instituto Akatu

O programa, desenvolvido em parceria com o Instituto Akatu, contempla aplicativos em formato de jogos – Nossa Água, Nossa Energia, Nossa Alimentação, Nosso Transporte e Nosso Consumo – que auxiliam, de modo lúdico e dinâmico, os usuários a fazer a melhor opção para cada caso, considerando a economia de dinheiro e os recursos naturais. Em 2016, foram desenvolvidas novas fases para os games e a atualização das funcionalidades das calculadoras.

Ressalta-se que a FEBRABAN é uma das entidades que compõem o Conef, cujo objetivo é definir planos e programas, além de coordenar a execução da Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF).

Em 2016, a FEBRABAN teve uma atuação bastante ativa como membro do Conef, promovendo fóruns com os principais stakeholders sobre projetos e ações que aumentem a capacidade do cidadão de realizar escolhas conscientes sobre a administração de seus recursos e contribuir para a eficiência e solidez dos mercados financeiro, de capitais, de seguros, de previdência e de capitalização.

Conhecimento acadêmico

G4-EC7

Estimular o debate em torno de questões relevantes tanto para o setor financeiro quanto para o País faz parte dos objetivos da FEBRABAN.

Em 2016, promoveu a 8ª edição do Prêmio INFI­FEBRABAN de Economia Bancária, no qual são premiados os melhores trabalhos distribuídos em três categorias: dissertações, teses e artigos acadêmicos; monografia de graduação; e educação financeira.

O INFI também mantém convênios com a Fundação de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe-USP), a Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (EESP-FGV), a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para o desenvolvimento de estudos técnicos que possam subsidiar a formulação de propostas de melhoria do funcionamento do setor financeiro.

Em 2016, foram concluídos quatro trabalhos, os quais abordaram os temas: requerimento de capital e falência bancária, ciclicidade da alavancagem do sistema financeiro brasileiro; plataformas de crédito peer-to-peer (empréstimo coletivo); e spread bancário no Brasil no período de 2011-2016.

Outros estudos, ainda em desenvolvimento, tratam de análise dos impactos da economia digital no mercado bancário e o papel do aparato jurídico-legal para o bom funcionamento do mercado de crédito brasileiro.

Para 2017, está prevista a realização de dois workshops para a apresentação dos trabalhos mais bem avaliados. Participarão representantes da FEBRABAN, dos principais bancos e das instituições de ensino contratadas.

Certificação

Certificação de correspondentes

O Brasil conta com cerca de 294 mil correspondentes bancários que prestam serviço ao sistema financeiro e às comunidades, o que facilita o acesso a produtos e soluções em ambientes fora das agências, como farmácias, supermercados e concessionárias de veículos. Em 2016, o INFI capacitou 6 mil, totalizando, desde 2013, 30 mil agentes.

Certificação Internacional

Mediante acordo com a Association of Certified Anti-Money Laundering Specialists (ACAMS), o INFI mantém o curso de Capacitação e Treinamento no Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro, com certificação internacional. Em 2016, foram treinados 92 profissionais, dos quais 46 fizeram o exame e 29 obtiveram aprovação (63% do total; a média mundial é de 65%). Os demais estão em fase de agendamento da prova. Para 2017, estão previstas três novas turmas.